MOKICHI OKADA

Mokichi Okada nasceu no dia 23 de dezembro de 1882 em Tóquio, capital do Japão, num bairro chamado Hashiba. Tanto a data quanto o local de seu nascimento estão, do ponto de vista espiritual, estritamente relacionados à missão que deveria desempenhar durante a sua vida terrena, como propagador da Luz do Oriente, através da divulgação dos Sagrados Ensinamentos que lhe foram revelados por Kami, visando à salvação da humanidade, tornando-se assim sua Filosofia de vida.

Durante a juventude, Mokichi Okada não teve nenhum envolvimento direto em assuntos religiosos e certamente nem qualquer experiência com cura. As atividades dele como líder religioso só começaram após ter chegado à meia idade, quando sentiu ser chamado por Kami para desempenhar uma missão específica no mundo.

O terremoto foi o marco decisivo para Mokichi Okada reformular o seu conceito de vida. Estava com a idade de 41 anos e começou a indagar sobre o verdadeiro sentido da existência do ser humano e do destino de cada um em particular e a pensar sobre a possibilidade de salvação das pessoas. Ele, então, finalmente, decidiu-se a procurar obter algum tipo de resposta na religião e, ao final daquele ano, entrou para a Oomotokyo, uma seita do tipo renovação mundial, com uma base sincrética xintoísta fundada em 1892 por Nao Deguchi (1837 - 1918).

Mokichi Okada, ao ingressar na religião, passou a meditar mais freqüentemente sobre o destino das pessoas. Foi nessa época que ele, conscientemente, se apercebeu de existir em si uma força poderosa e sobrenatural. O seu envolvimento cada vez mais profundo com a Oomotokyo viria a confirmar isso. Mokichi Okada, na busca pessoal do relacionamento entre essa força e o homem, sentiu que os ensinamentos específicos da Oomotokyo tinham para ele um significado menor do que a experiência da oração. Logo após se ter tornado membro da Oomotokyo, começou a sentir que somente através da oração não podia ajudar as pessoas que sofriam de doenças. Para ele, a saúde era a maior bênção imaginável. 

Apoiado por uma constante meditação e por uma crescente certeza da existência de um Ente Supremo prosseguiu em suas buscas para aprender mais sobre a natureza deste Ente que ele sentia. "Naquela época", ao se referir aos meses de imersão em pensamento religioso, disse: "algo se movia dentro de mim por vontade própria porque algum milagre estava me levando pouco a pouco a conhecer o Mundo Divino. Estava tão feliz que mal me pude conter para não explodir de alegria".

Em um dia de dezembro de 1925, à meia noite, Mokichi Okada começou a receber as primeiras revelações, através das quais descobriu o grande Plano Divino para eliminar do mundo todos os infortúnios, tais como: doenças, pobreza e conflitos. Ao mesmo tempo, tomou conhecimento de que ele fora o escolhido pelo Criador para construir, na Terra, o Reino do Céu.

No início de sua missão, Mokichi Okada ficou em dúvida a respeito de tantas e tão extraordinárias revelações. Não aceitava que ele, um simples mortal, pudesse ter sido incumbido de tamanha missão. Pouco a pouco, porém, ocorrências misteriosas à sua volta o fizeram aceitar a verdade dos fatos sem contestação. Assim, na década de 30, já com 45 anos, era um Grande Mestre, com o grau de Kenshinjitsu (sabedoria que transcende o tempo e o espaço) que lhe permitia não só enxergar o presente, o passado e o futuro da humanidade, mas também ter a possibilidade de, já revestido de todo esse poder, trabalhar concomitantemente no mundo material e Divino.

A consciência desta grandiosa missão reservada a Mokichi Okada parecia fazer aumentar nele o calor e a simpatia pessoal que sentia pelos outros. Neste ínterim, tanto o poderoso carisma de Mokichi Okada quanto os inacreditáveis casos de cura e de recuperação de doentes passaram a repercutir, atraindo um grupo rapidamente crescente de seguidores pessoais. Era só uma questão de tempo para que as qualidades de sua liderança se tornassem evidentes e lhe fosse confiada à direção de um templo da Oomotokyo em Tóquio. No entanto, a partir daí, foi que seu trabalho alcançou uma dimensão bem diferente, passando a divergir da corrente principal da Oomotokyo. Na época, essa seita ainda estava afeita a fatores culturais e nacionalistas: roupas e alimentos ocidentais eram proibidos, dentre muitas outras restrições.

Registros contemporâneos, contudo, atestam que a orientação de Mokichi Okada era realista e liberal. Ele preocupava-se, basicamente, com coisas práticas. Mokichi Okada jamais se envolveu em movimentos políticos ou ideológicos dentro ou fora da Oomotokyo. Dedicou-se por inteiro, a ajudar os que sofriam, ensinando, também, o significado da fé e de uma filosofia pragmática e o que elas envolviam. Foi, antes de tudo, um mestre, e assim permaneceu o resto da sua vida. Vivenciou a sua crença na igualdade entre os homens, sendo sempre capaz de entrar em contato com criaturas de diferentes níveis. A todas, inspirava completa confiança. Quando iniciou suas atividades normais de cura em 1928, muitos naturalmente o procuravam para obter dele ajuda e conselhos.

Foi assim que, na madrugada de 15 de junho de 1931, Mokichi Okada, acompanhado de sua esposa e 30 discípulos subiu ao Monte Nokoguiri para aguardar o nascer do Sol e fazer uma oração.

Ao alvorecer, recebeu a extraordinária revelação de que se aproximava a Era do dia, marco inicial de uma nova civilização. Dias mais tarde, instalou-se em seu ventre uma "Bola de Luz", conhecida em sânscrito como Cintâmani e em japonês como Nyoi-Hoshu, sendo Hoshu=Cinta, termos que em português correspondem à palavra bola; Nyoi=Mani cujo significado é "força capaz de realizar todas as vontades".

Durante a Era da Noite essa "Bola" permaneceu obscura. No momento em que a Aurora começou a despontar Mokichi Okada a recebeu e passou a usufruir um poder capaz de concretizar a estrutura do Reino do Céu na Terra, oferecendo assim aos homens meios concretos para criarem um mundo de verdade, virtude e beleza.

E, a partir de então, tornou-se um poderoso e inesgotável manancial de Luz Divina, energia que lhe permitia obter o único método autêntico de cura. Contudo, até 1935, Deus não lhe revelaria que essa desconhecida força em expansão, a Luz Divina, seria o que se conhece por Terapia Depurativa Japonesa (com nome religioso de Joorei).

Oito anos já se haviam passado desde as primeiras revelações em 1926. Durante todo o tempo em que Mokichi Okada permaneceu na Oomotokyo, pensou muito sobre se deveria formar um grupo independente. Porém, só se decidiu a agir nesse sentido após ter absoluta convicção de que o seu trabalho poderia ser realizado melhor fora do que dentro da seita a que ele se havia dedicado por tanto tempo. Sua saída foi provavelmente o único caminho encontrado para edificar a obra da qual fora incumbido pelo Criador. Em 1935, por revelação de Kami, passou a ter consciência de uma energia espiritual – A Terapia Depurativa Espiritual - e a ser o seu primeiro canalizador para a cura de doenças. A Terapia Depurativa, no tratamento das enfermidades, demonstrou ser, sem qualquer comparação, muito mais eficaz que as orações. Essa terapia é a luz divina canalizada através das palmas das mãos.

No começo, apenas a Mokichi Okada tinha o poder de canalizá-la. Como as curas eram prodigiosas, muitos doentes iam procurá-lo em busca de uma orientação pessoal. Isso fazia com que Mokichi Okada trabalhasse até altas horas da noite, embora soubesse que somente uma pessoa jamais poderia salvar toda a humanidade. Finalmente, ainda em 1934 Mokichi Okada pode intuir como a energia espiritual da Terapia poderia também ser canalizada por outras pessoas. Bastava, apenas, que ele escrevesse a palavra "Luz" (Hikari) em algum objeto para que este ficasse, a partir de então, impregnado da própria Energia Divina da qual se tornara o instrumento.

Desse modo, Mokichi Okada passou a confeccionar medalhões (Ohikaris) para o uso individual dos seus seguidores, utilizando-se de pedaços de papel de seda de tamanho, formato e espessura adequados. Assim, qualquer pessoa que usasse o Ohikari, por ele preparado e a ela outorgado, podia canalizar a Luz Divina da Terapia. Mokichi Okada começou, desde então, a instruir seus discípulos e a falar-lhes da Terapia e suas benfeitorias Os primeiros seguidores contemplados com o Ohikari passaram a ministrar a Terapia aos seus familiares e amigos, com notáveis e inesperados resultados.

Em conseqüência, o novo grupo das pessoas portadoras do Ohikari dedicou-se a espalhar o significado da Terapia e a praticá-lo com mais fervor, ficando, portanto, livre da doutrina e comportamentos religiosos.

Assim em 1º de maio de 1934, Mokichi Okada fundou em Oojindo (no andar de cima em sua residência) a Clinica de Massagem Espiritual Okada com a Terapia Espiritual ou Purificação de Estilo Okada. Em 23 de dezembro desse mesmo ano fundou provisoriamente a Daí Nippon Kannon Kai (Associação de Kannon do Japão) como entidade religiosa e não como igreja. No ano seguinte fundou a Associação.

Em 15 de maio de 1936, no Gyokussen-Kyo, a Daí Nipon Kenko Kyokai (Associação Japonesa de Saúde), com a finalidade de dissociar da religião a técnica medicinal e o tratamento, tornando-os atividades independentes. Na cerimônia de instituição da entidade, explicando seus objetivos, o Mestre disse que ela foi criada para abrir, de forma ampla, o caminho da salvação, tornando-o acessível a qualquer pessoa, fosse qual fosse a sua religião, inclusive às pessoas sem fé.

Muito embora isso possa ser facilmente considerado como algo de cunho religioso, uma vez que tanto Cristo quanto outros fundadores de religiões fizeram coisas similares, devo deixar claro que não pretendo jamais que o nosso se transforme em religião. Uma das razões é o fato de que a prática religiosa leva a sociedade a encará-la como superstição. Com efeito, são incontáveis até hoje os exemplos de pessoas e mais pessoas que se tornaram infelizes, atormentadas por crenças supersticiosas e cultos estranhos. 

Acrescente-se que as autoridades, com o intuito de prevenir tais danos, estão adotando medidas severas de controle. Ademais, pode-se convir que não só os xintoístas, budistas e cristãos, como fiéis de outras crenças, poderiam hesitar em submeter-se à nossa terapia, mesmo sofrendo com enfermidades, caso ela tenha, ainda que mínimo, um cunho religioso.

Além disso, na hipótese de que a nossa terapia — como falei há pouco — fosse uma prática religiosa, estaríamos confessando, na realidade, a debilidade do seu poder, uma vez que os resultados seriam obtidos com o auxílio da auto-sugestão, representada pelo fator fé. Isso, aliás, é algo presente em certa proporção na medicina. 

Vejamos alguns exemplos. Quando o médico com quem se vai consultar possui o título de doutor, é catedrático, diretor de um grande hospital, autoridade na sua área, ou então, tem sua clientela nas classes altas, nem é preciso mencionar que o paciente — antes mesmo de iniciar o tratamento — nutre por ele considerável veneração e confiança. É, portanto natural que a força dessa sugestão exerça certo efeito, não se podendo negar a presença de um ponto em comum com a devoção religiosa.

Todavia, a minha arte médica prescinde do auxílio de semelhante sentimento, não havendo necessidade de transformá-la num ato religioso. E não é só, como já citei isso poderia acarretar-lhe desvantagens. Portanto, sempre a terei como Ciência e é como Ciência que a exponho à opinião pública. Em outras palavras, espero que seja a Ciência do futuro, a ciência de ponta, a arte médica mundial criada por um japonês. ―(...)A nossa seria, sob a liberdade de fé correta, criar uma vida mental-psiquica apropriada a si próprio‖. A essência da Terapia Depurativa Japonesa também é correta, e se baseia no princípio da concordância entre a matéria e o espírito de que belos sentimentos habitam num físico forte. Repito que a fé é pertinente a cada um, e a nossa associação difusora não interfere na fé que cada um abraça.

Logicamente, não temos também nada a ver com política. Nossos esforços visam tão-somente à formação de físico forte onde habita belos sentimentos‖. “Fiz de tudo para não transformar em religião. Pois, caso trabalharmos religiosamente, sem dúvida a sociedade verá como superstição. (...) Portanto, sempre a terei como Ciência e é como Ciência que eu a exponho à opinião pública. Em outras palavras, espero que seja a Ciência do futuro, a ciência de ponta, a arte médica mundial criada por um japonês”.

Entretanto, Mokichi Okada imbuido pelo sentimento de um único Kami que não é comum o povo japonês ter esse tipo de crença, pois é um povo xintoísta acreditando em vários deuses. Mesmo assim em 01 de janeiro de 1935, Mokichi Okada fundou o primeiro segmento religioso já estudado em outro parágrafo com o nome a Daí Nippon Kannon Kai (Associação de Kannon do Japão) mas logo foi obrigado a fechá-la. Por imposição do regime militar, não havia liberdade de crença. Daí, as autoridades japonesas ordenaram-lhe que não misturasse ensinamentos religiosos com trabalho de cura. Impuseram-lhe a escolha entre um ou outro. Optou, então, pela cura e continuou com seu trabalho da Terapia só que dessa vez denominou de Terapia Digitopuntura do Estilo Okada. Mokichi Okada disse: Desde então, começamos a promovê-las efetivamente. Até então, viemos difundindo lentamente como terapia popular, mas, no final de contas, não foram precisos nem dez anos. Nesse curto espaço de tempo, fizemos progressos colossais, como os que estão vendo”.

Por conseguinte, as exposições do mestre sobre a natureza Divina e de Seus atos no mundo derivaram das revelações por ele obtidas. Uma análise dos Ensinamentos de Mokichi Okada, para determinar exatamente a sua Filosofia indicam quatro pontos principais:
  1. Kami mostra aos homens o caminho do arrependimento;
  2. Kami confia aos homens a tarefa sagrada de construir um mundo de Verdade, Bondade e Beleza;
  3. Kami informa aos homens que aqueles que não se arrependerem serão punidos no julgamento; 
  4. Kami concedeu a Mokichi Okada a responsabilidade de transmitir estas coisas para todos os homens. 
Assim, através de Mokichi Okada, a Terapia foi dada a conhecer ao mundo, atraindo multidões para serem curadas. Também do ponto de vista organizacional, essa nova e inédita Terapia, fundamentada em conceito científico, introduziu alterações após a guerra. Na sua primeira reestruturação, em 1947, "A Grande Sociedade Japonesa " passou a contar com oito núcleos autônomos, cada qual liderado apenas por um dos seguidores mais diretos de Mokichi Okada. Esses núcleos prosperavam rapidamente e logo foram muitos adeptos a ministrar a Terapia e centenas de pessoas a serem curadas.

Em 23 de dezembro de 1950, Mokichi Okada anunciou que iria escrever "A Criação da Civilização", onde revelaria, por desígnio da Providência, o amplo e profundo significado da Terapia. Este livro, se tornou o principal dessa Filosofia, ensina os principais pontos essenciais da Terapia, as principais doenças e como podemos através da Terapia eliminá-las. Em 1953, dois núcleos foram abertos nos Estados Unidos, num esforço de iniciar a propagação da filosofia por todos os países.

Quando Mokichi Okada faleceu, em 10 de fevereiro de 1955, tinha 72 anos.

Milhares de pessoas estavam presentes no seu funeral: Grandioso tributo a um homem que tanto tinha feito para ajudar ao próximo.

Mas quando estava vivo dizia que sua obra iria continuar mesmo após a sua morte, pois o corpo físico dele atrapalhava, mas quando fosse para o mundo Divino poderia se multiplicar em milhões de partículas e poderia estar ao mesmo tempo em vários lugares diferentes e quem o chamasse seria salvo e principalmente mesmo os ideogramas que deixou fossem cópias dos ohikaris não deixariam de emitir luz para o maior número possível de pessoas pudesse ser adeptos de sua filosofia e assim poderia contribuir também na salvação da humanidade sendo seus instrumentos e colaboradores na canalização da luz divina.

E assim, os seus seguidores mais imediatos, que praticavam a Terapia e seguiam sua filosofia, tinham sobejas experiências de seus benefícios, pois haviam salvado da morte inúmeras pessoas gravemente enfermas e, também, evitado a invalidez em outras. Entretanto, os resultados maravilhosos das experiências com a Terapia Espiritualista fizeram com que muitos discípulos o considerassem como meio e fim da sua filosofia,mesmo assim não deixou de prosperar e de se espalhar pelo mundo.

É de se notar ainda que todos os grandes mestres do passado também realizaram milagres e curaram doentes. Nenhum deles, porém, legou tal poder a todos os seus seguidores. Já, o fim da vida terrena de Mokichi Okada, não interrompeu a canalização da Terapia, pelo contrário. Como ele mesmo previa a "Bola de Fogo" que possuía uma vez liberta das limitações do corpo físico (já exposto anteriormente), aumentou ainda mais, permitindo a todos os Mamehito (discípulos e homens sinceros) efetuarem curas prodigiosas.

À medida que o tempo passa, as profecias de Mokichi Okada vão se confirmando. A contaminação dos alimentos por agrotóxicos, o aumento dos índices mundiais de criminalidade, resultante da obnubilação do corpo espiritual pelas máculas, o agravamento das enfermidades existentes e o surgimento de novas e terríveis moléstias muitas delas causadas pelos próprios medicamentos utilizados pela moderna ciência médica - são hoje fatos incontestáveis.

Referências
Reminiscências Sobre Meishu-Sama:Volume 1. Angola: Igreja Messiânica Mundial de Angola, 2011. Disponível em:<http://issuu.com/ascom.africa/docs/remin1_miolo_8ago11> Acesso em: 09 dez. 2013.
Reminiscências Sobre Meishu-Sama: Volume 2. Angola: Igreja Messiânica Mundial de Angola, 2011. Disponível em:<http://issuu.com/ascom.africa/docs/remin_02_web> Acesso em: 09 dez. 2013.
FILHO, Charles Guimarães. Filosofia Religiosa do Messias: Volume 4. 2010. Disponível em:<http://charlesguimaraesfilho.com.br/adm/pdfslivros/messias.pdf> Acesso em: 09 dez. 2013.
JESUS, Ana de. Meishu-Sama Vida e Obra. Disponível em:<http://pt.scribd.com/doc/106275340/Vida-e-Obra-de-Meishu-sama> Acesso em: 09 dez. 2013.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...